Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

21
Jun13

Mudando a face do Brasil.

Do you hear the people sing?
Singing a song of angry men?
It is the music of a people
Who will not be slaves again!


OS números são significativos, embora não astronómicos atendendo ao todo populacional. Uma classe social consciente e que atingiu o limite da paciência para uma classe política corrupta, criminosa, anti-democrática e em quartel com o poder religioso. Diante do quadro vigente, em que as intenções governativas de Dilma Rousseff não chegam para limpar um país entregue a vícios terríveis, é preciso aumentar o número de participantes nas manifestações. É preciso explicar a importância das manifestações nas favelas, junto das torcidas, ir de porta em porta explicando e chamando o povo. É preciso a revolução a cada casa e explicar porque não se deve recorrer à violência. 

Mudar o país começa com mudanças de atitude. A forma como os brasileiros - historicamente letárgicos ao ritmo do samba, orientados para o circo dos estádios que adormecem consciências e estendidos no areal dos chopinhos - mandaram tudo isso pelo ralo serve bem de exemplo da importância da cidadania no exercício e no garante da Democracia. 

Todavia, porque nestas coisas há sempre velhos vícios instalados, os partidos da oposição verão nestas movimentações populares uma janela de oportunidades para a passagem de uma ideologia anti-petista, de uma narrativa forjada em coro com a bancada evangélica que, entre outras iniciativas, promoveu a chamada "lei da cura gay". Não obstante, estou esperançoso que o povo não se deixe embalar pelos aproveitamentos partidários, sejam eles quais forem, pois no fundo todos têm as mãos sujas, uns mais que outros, de corrupção, favorecimentos ilícitos, e há os que chegam com agendas políticas perigosas. 

Nessa onda de insatisfação, que se arrastem as vozes contra o perigoso casamento entre poder político e poder religioso. Recordemos que as propostas apresentadas ao nível dos municípios são bem reveladoras: a atribuição de nomes bíblicos a praças e ruas, propostas de criação do Dia do Evangelho como feriado nacional, a organização de marchas, controle e ampliação de estações de rádio e TV, apropriação de partes de ruas em Belo Horizonte; intenção de obrigar as noivas a casarem-se com roupa íntima de tamanhos e formas predefinidos (Vila Velha/ES); exigir a professores e alunos a oração do Pai-Nosso antes do início das aulas (Ilhéus/BA); criação de um WC para gays, lésbicas e transsexuais (São Paulo/SP); proibição de bares com venda de bebidas alcoólicas a menos de 300 metros da igreja (Sorocaba/SP); instituição do Dia do Orgulho Hetero no calendário (São Paulo/SP); obrigação de leitura de trechos da Bíblia antes das sessões no município (Passo Fundo/RS). Em São Gonçalo, a periferia do Rio de Janeiro, a antiga Praça Chico Mendes (em memória do célebre ambientalista assassinado na Amazónia) mudou de nome para "Praça da Bíblia".

Um novo Brasil, um novo amanhã. Mais democrático e ético. Mais Brasil.