Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

24
Jun13

Graffiti e Censura.

APRECIADOR de grafftis desde a adolescência, não me compadeço com os tags e outras marcas a spray que em nada representam arte nem dignificam a dimensão urbana que subjaz à "escrita" de murais. Dessa forma, exceptuando murais públicos e que por sua natureza estética ganhariam significativamente com um graffiti, sou a favor do pedido de autorização para o uso do espaço - o que revela, a priori, uma consciência das autoridades da mais-valia estética da arte urbana como produto cultural. Agora, preocupa-me, e muito, que haja uma avaliação ao conteúdo dos mesmos. Poderemos chamar-lhe "segurança" ou "controlo", mas em rigor o que temos é clara censura, porquanto importa lembrar que o graffiti nasce, durante o Império Romano, precisamente como ferramenta de intervenção política. 

E porque "uma imagem vale mais que mil palavras", como diz o saber popular, um mural tem mais força de ação que panfletos, posts, etc., e isso está bem patente no medo que assola o governo. Grave e preocupante.