Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

10
Set13

Ler Blogues #2.

1. Não percebo a indignação de Paulo Pinto Mascarenhas. Acho natural e razoável que Cavaco Silva, na qualidade de Presidente da República tenha expressado as suas condolências pela morte de António Borges, independentemente dos interesses que o mesmo tendia a representar, mais ou menos prejudiciais para o país, pois, seja como for, foi uma figura importante do panorama nacional. Da mesma forma que apoio as vozes que consideram que o senhor presidente deveria ter vindo manifestar-se pela morte dos bombeiros, afinal ele é (oficialmente) o presidente de todos os portugueses. 

2. Concordo em absoluto com Rui Bebiano. A guerra travada pelo PSD e pelo PCP é um jogo de interesses da politiquice de carreira. A velha lógica vermelha da antiguidade como posto está em hipérbole no sistema autárquico.

3. As bibliotecas refletem os nossos critérios pessoais, por isso achei interessante a ordenação proposta por Pedro Correia.

4. A analogia do John Wolf é brilhante. Começo, contudo, logo por dizer que o problema da política encontra-se logo na ideia da «representação». Não creio que político algum represente vontades, antes os eleitores escolhem o que lhes parece menos mau ou antes escolhe o suplente sobre o qual pouco sabe só para castigar o titular do qual já viu mais do que a conta. Em segundo lugar, concordando que Seguro anda a fazer uma campanha com base em coisa nenhuma, considero-a legitima, pois durante dois anos, quer o governo queira assumir quer não, o PS foi atirado para as reservas.