Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

24
Abr13

E a poesia, ainda existe?

Para além da música é na poesia que encontro o mais nobre da humanidade. Talvez seja um defeito de quem se expressou, ab initio, pela poesia e se fez sempre acompanhar pela música. E a arte das palavras ordenadas em ritmo e na verticalidade do espaço é parente próximo. No entanto há qualquer coisa de profundamente trágico no reconhecimento post-mortem que regra-geral habita a vida do poeta, tanto quanto a do compositor ou do pintor, ao mesmo tempo que o mundo dos livros pouco se apraz com tal arte das musas entregando-se melhor ao comercial que mantém o negócio vivo. Por isso a poesia quase não existe a não ser em recantos literários de nós mesmos ou clubes de poetas e memórias históricas. A poesia é chata, no mesmo nível que são os livros e filmes que nos obrigam a pensar. No entanto a poesia é como um rio estancado por um muro - mais tarde ou mais cedo rebenta e flui quando assim o tiver de ser.

"E naquela casa, que ninguém conhecia a idade, era como se os dias não fossem dias".

Email | Blog Académico | Página Pessoal 

OS MEUS LIVROS

p-imdv.jpg

O livro está disponível para download aqui. COVER ULHT.JPG O livro está disponível para download aqui O livro está disponível para aquisição aqui O livro está disponível para aquisição através do email correio@cpcy.pt

UNS TANTOS