Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

06
Dez13

Mandela, o ancestral.

"Ninguém nasce a odiar outra pessoa devido à cor da sua pele, ao seu passado ou religião.

As pessoas aprendem a odiar, e, se o podem fazer, também podem ser ensinadas a amar,

porque o amor é mais natural no coração humano do que o seu oposto." 


Em África quando uma pessoa morre de idade avançada, sem outras complicações que não a degeneração própria do tempo, e tendo contribuído para a coletividade, tendo deixado descendentes e tendo uma vida justa e reta - que os yorùbá da Nigéria, por exemplo, chamam de Iwa Pele - esta torna-se num ancestral. O ancestral, que será objeto de culto (simbolizando a ligação entre o plano de existência terrena e o mundo-outro), representa quer a memória individual quer a memória coletiva de uma família e/ou lugar. Por todo a sua vida, pelo seu exemplo, pelo seu caráter, pela sua luta, Nelson Mandela deverá ser elevado a Ancestral. 

1 comentário

Comentar post