Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

23
Jul14

A humanidade da crítica.

A capacidade humana de destruição é, prova a história, várias vezes superior à da edificação. É-nos intrínseca a guerra, o conflito, o ataque, a rejeição. Diante do diferente a mais pura atitude humana é a da rejeição, da segregação. A guetização dos judeus, a perseguição das minorias, a guerra santa, a evangelização, são exemplos claros da tendência humana para a imposição e rejeição. Caixas de comentários de blogues, jornais ou o mundo das redes sociais, revelam que é mais fácil ao ser humano criticar do que elogiar, condenar do que integrar. 

Atividades de grande exposição, como a política, estão permeáveis à crítica rápida e fácil. É inegável que se trata de uma profissão onde, por princípio, a excelência é um imperativo. No entanto, a forma como tem sido tratado o post da deputada socialista Catarina Marcelino indicia bem o apreço humano pelo ataque, em particular face aos que pensam ou representam modelos ideológicos diferentes.