Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

18
Mai15

A insustentabilidade de Lopetegui

Julen Lopetegui é um homem desorientado. Falhou em todas as frentes, depois de uma fasquia elevada pelo número de jogadores contratados e das somas envolvidas, e depois de ter feito do FCP uma equipa importadora do mercado espanhol, relegando jogadores como Quaresma ou Quintero, para dar lugar aos emprestados de renome. Há uma necessidade de oposição a este modelo de gestão centrada na contratação de jogadores estrangeiros em detrimento do talento nacional. Se Ruben Neves foi aposta sua, a verdade é que a exigência dos empréstimo fez de Casemiro um titular à força. Brahimi foi uma estrela fugaz, Tello fez aparições esporádicas, Marcano, José Ángel e Adrián López foram tiros no pé do técnico espanhol. Se o Benfica deu a volta por cima da crise foi pela consciência das especificidades do futebol português. O FCP fez o trajeto inverso. Às más escolhas de Lopetegui juntou-se a péssima relação com Ricardo Quaresma, um jogador essencial no FCP e bastante acarinhado pelos adeptos. O bate-boca com Jorge Jesus foi desnecessário e revelou falta de profissionalismo, agora agudizado pela facilidade com que "sacudiu a água do capote" e deu os parabéns a todos os que ajudaram o Benfica a ser campeão, nas suas palavras. 

Pinto da Costa fez a sua aposta e esta foi, mais uma vez, um fracasso. Ou Lopetegui faz marcha-atrás na forma como lida com o plantel - coisa que não se prevê, depois de novo desentendimento com Quaresma e a contratação de mais um avançado espanhol (!) - ou o melhor é seguir rumo a Espanha, onde o seu nome é apontado ao Real Madrid, clube a precisar de apostar no talento espanhol e abandonar a política de contratações para merchandising. Poderá ser boa opção, para todos. 

1 comentário

Comentar post