Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

24
Jan15

Elogio das Ruas

Onde se cruzam gentes e identidades, olhares, cheiros e sensibilidades -- as ruas, são o teatro da humanidade por excelência. Nenhum outro lugar é capaz de promover a metamorfose cultural, as diluições das tensões étnicas e raciais ou servir de laboratório às dinâmicas sociais. No cruzamento apressado de gentes diferentes, todos iguais nas marcas do tempo vivido, nas obrigações fiscais ou nas normas legais.

É precisamente nos empurrões do metro, na vizinhança das vitrinas das lojas, na companhia forçada nas filas dos cafés, que se faz a multiculturalidade. A diferença é o que compõe o tecido humano, o tecido urbano, o tecido convivente. Sempre nos reconheceremos a nós mesmos através do «outro», de um «outro» tão em mutação quanto nós mesmos. Por isso, o elogia da diferença, da estagnação identitária, não cabe num discurso coerente sobre a convivência nos espaços públicos. A diferença é-nos implícita, não é um muro levantado entre sorrisos que os panos cobrem.