Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

⊙ A Morada dos Dias

{ Horizontes. Olhares. Rumos Cruzados. Palpitações. Compassos dos Dias. }

06
Set17

Educar para o açúcar

 O açúcar é, reconhecida e unanimemente, a droga do nosso século, e o maior veneno que consumimos, estando associado a uma percentagem elevadíssima de doenças, inclusive o cancro. No entanto, a indústria alimentar, que não tem ética nem se compadece com mais do que o lucro, sempre fez questão de nos viciar através do açúcar. É absurdo que papas para bebés e crianças, como a Nutriben e a Cerelac contenham mais açúcares por 100g (35g) do que cereais para adolescentes e adultos (Fitness 20g, Nesquik 25g, Golden Grahams 25g, Jordan's 15g, Muesli IKEA 11g). Há uma clara intenção de viciação, extremamente cómoda para os pais pois os filhos comem com gosto, ingerindo açúcar e tornando o seu organismo dependente. Mais tarde terão o vício ampliado com doces de toda a ordem, chocolate, refrigerantes e tantas outras coisas. A cultura do açúcar está impregnada na nossa sociedade, sendo extremamente grave que cereais ou bolachas, por exemplo, com mais açúcares são as mais baratas. 

Há 50 anos atrás faziam-se chuchas de açúcar com um trapo para manter as crianças caladas. Hoje há desenhos animados sobre o salvamento da fábrica do açúcar e uma indústria bem montada. A dependência do açúcar está a matar-nos, e andamos a comer com gosto maçãs envenenadas.

19
Jan15

Urgências? Só por marcação

 Na parede a tabuleta diz "urgências". Na campainha a ideia é reforçada: "para urgências tocar à campainha", num alerta aos aflitos noturnos. No interior do Centro de Saúde a funcionária, que se detém mais demoradamente na atualização da sua vida junto das colegas, com má cara diz que urgências não há, só consultas com marcação. Alternativas? Marcar consulta ou ir engordar as filas nos sobrelotados hospitais. Os centros de saúde tornaram-se clínicas públicas com tiques de privado. É esta a herança que deixa o governo PSD/CDS.

© fotografia arquivo pessoal