Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Estado dos Dias

«O dia precedente é o mestre do dia seguinte.» - Píncaro

Brasil 2022: os resultados

03
Out22

Pode ser uma imagem de 4 pessoas e texto que diz "Presidente Ver lista completa Eleição matematicamente definida (Segundo turno) PT-13 13 LULA 57.256.705 votos 48,43% PL-22 JAIR BOLSONARO 51.070.986 votos 43,20% MDB-15 4.915.281 votos SIMONE TEBET 4,16% PDT-12 PDT- 12 CIRO GOMES 3.599.193 votos 3,04%"

Tal como fui dizendo "em off" a quem me foi perguntando — já que não tinha qualquer base científica ou dados reais para fundamentar a minha opinião, tratando-se apenas de um feeling —, Lula ganhou, mas haverá segundo turno. As sondagens eleitorais são, cada vez mais, instrumentos que influenciam votações mais do que refletem tendências de voto. É verdade que são indicadores de determinado momento, mas vem sendo evidente que quando publicadas alteram os comportamentos eleitorais.
Para o que conta, a campanha para segunda volta vai transformar, novamente, o Brasil num campo de batalha cultural e política, agudizando tensões sociais. Em termos eleitorais, o facto de Lula partir à frente não significa uma necessária vantagem. A base bolsonarista tem grande capacidade de mobilização, e apesar de Lula ter uma plataforma eleitoral tendencialmente mais alargada, é ao mesmo tempo um ativo político tóxico. O facto de não se vislumbrar mais ninguém capaz de vencer Bolsonaro não significa que Lula pudesse, de facto, o fazer. Ademais, o eleitorado de Simone Tebet pode bem virar para o lado de Bolsonaro, já que Tebet tem no seu currículo a votação favorável ao impeachment de Dilma e várias votações condenadas por organizações de direitos humanos. Igualmente, o eleitorado de Ciro Gomes pode não ser suficiente para dar a eleição a Lula, até porque não há garantia de que uma parte dele não se abstenha.
Por isso, para este segundo turno é preciso cautela com antecipação de vitórias. No meu entendimento (arriscando desta vez), Bolsonaro partindo de uma posição de derrota parte em vantagem para uma mobilização mais eficaz.