Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Morada dos Dias

{ E naquela casa, que já ninguém conhecia a idade, era como se os dias não fossem dias }

22
Out20

Do voto obrigatório

O Chega pretende inserir a obrigatoriedade do voto. Este é um tema com o qual me tenha debatido algumas vezes. Enquanto conquista recente e democrática, o sufrágio universal pressupõe tanto o direito ao voto quanto o direito a não votar, no quadro das liberdades constitucionais. No entanto, as taxas de abstenção são altíssimas, revelando mais do que um protesto, um problema de desinteresse e desconfiança no sistema. Sucede que no caso brasileiro, apesar da obrigatoriedade do voto sob pena de pagamento de coima, a abstenção tende a prevalecer. Rui Rio propôs que a abstenção fosse convertida em lugares vazios no plenário da República. O problema da proposta é que não resolve a questão da abstenção, apenas tem um valor de lembrete sobre os deputados, significando a incapacidade de se comunicarem com os eleitores. O caminho parece passar pelo longo trajeto de educação para a cidadania, questão que, como visto, tende a obter alguma oposição social.