Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Morada dos Dias

{ E naquela casa, que já ninguém conhecia a idade, era como se os dias não fossem dias }

Rita Rato

Julho 13, 2020

A polémica escolha de Rita Rato, deputada comunista, para dirigir o Museu do Aljube leva-nos a uma encruzilhada que marca a vida pública nacional. Ali confluem escolhas políticas, o que no Brasil se designa por QI (quem indica), competência, estratégia e o sempre problemático concurso público como mera metáfora para procedimentos turvos feitos ad hominem. O EGEAC justifica a escolha de Rita Rato com o facto da deputada ter defendido "uma visão integrada para o Museu do Aljube, incluindo uma proposta de programação relacionada com temáticas de liberdades contemporâneas, como as questões de género ou a inclusão social, e destacou-se numa segunda ronda de entrevistas nessa abordagem múltipla”. As razões parecem-me razoáveis e justificadas. A questão que falta saber é se Rita Rato teria tido esta oportunidade se não fosse deputada, uma vez que a priori não correspondia aos critérios definidos para a escolha da nova direção.

Cólofon

A Morada dos Dias é um blogue de João Ferreira Dias, escrito segundo o Acordo Ortográfico, de publicação avulsa e temática livre. Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.