Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Morada dos Dias

{ E naquela casa, que já ninguém conhecia a idade, era como se os dias não fossem dias }

Micropost [26] | "Uma Vergonha"

Dezembro 12, 2019

As intervenções de André Ventura são uma aula sobre o populismo. Mesmo na Assembleia da República o homem que é o partido jamais fala para os seus colegas deputados ou para o governo. Fala para o Correio da Manhã, para as manchetes, sabendo que dizer "uma vergonha" tem uma ressonância social muito maior do que qualquer afirmação com conteúdo. Quando se une "uma vergonha" ao nome do partido temos o manual da narrativa que é suficiente (porque não dizer, que chega) para eleger um deputado.

Chega a agulha, afasta o dedal

Dezembro 06, 2019

O Chega tinha no seu programa político acabar com o SNS, com a escola pública e o favorecimento das grandes fortunas, numa sedução ao apoio dos setores ultraliberais da sociedade portuguesa, ao mesmo tempo que afagava os ódios primários do seu eleitorado mais alargado, através de soundbites racistas. Na hora de se confrontar com esse programa de destruição do Estado Social, ou seja, onde iria doer no seu eleitorado, o Chega retira o programa do ar e prepara uma profunda revisão. Ventura é a personificação da frase de Groucho Marx, "Estes são os meus princípios. Se você não gosta deles, eu tenho outros."

Micropost [20] | E se Ventura for aquilo?

Novembro 21, 2019

Passamos o tempo a dizer e a ouvir que André Ventura não acredita naquilo que diz, sendo um aproveitador político de uma circunstância social radicalizada. Como prova apresentamos a sua tese de doutoramento. Mas, e se tais conclusões forem um lapso dedutivo resultante da sua condição académica e da sua imagem "apresentável"? E se a sua tese de doutoramento for, na verdade, uma narrativa intencionalmente depurada e elaborada para os fins constantes? Uma das características dos líderes fascistas é a sua apresentabilidade.