Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dias Assim

31
Mar21

Lendo Blogs [9]

Não poderia estar mais de acordo com este post, de Ana Branco. O chão comum do Estado de Direito democrático vai sumindo debaixo dos nossos pés e a sociedade vai polarizando-se numa luta nova, entre uma esquerda que se radicalizou no elitismo-burguês, ao estilo de uma parte da esquerda brasileira, e uma direita cada vez mais trumpizada, arreigada à memória nacionalista herdada do Estado Novo. Nada de bom emerge quando os campos opostos deixam de ter um meio-termo que os equilibre. 

04
Mar21

obrigado Sapo

No mundo das redes sociais instantâneas, os blogs são um sinal de resistência de uma ideia de escrita demorada, refletida, mais ou menos intimista, mas que trouxe a noção de proximidade e universalidade à internet, dando voz aos cidadãos, e operando, até, no quadro das promessas constitucionais do acesso à informação e à igualdade. Vaticinados como destinados a morrer, os blogs permanecem aí, e em Portugal muito graças à plataforma de blogs do Sapo. Isto para dizer que depois do destaque do meu último post decidi contabilizar os posts que estiveram em destaque no portal Blogs do Sapo. 42. 42 textos desde 2013. 42 destaques que ajudam a motivar e a manter vivo este espaço. 

08
Out20

Um Achega

Em referência ao meu post sobre a expulsão do autor da moção de remoção de ovários, uma militante do Chega fez um post onde me tece algumas críticas. É uma das vantagens da Democracia, princípio pelo qual não temos a certeza de que o Chega tenha assim tanto afeto. A forma como André Ventura ataca os opositores políticos, a forma como as redes sociais do partido atuam distorcendo os factos e fazendo uso de chavões, estereótipos e ideias nacionalistas do começo do século XX, não deixam dúvidas sobre a forma como pretendem jogar o jogo político. É interessante ler no texto referido que o Chega é um partido "de cidadãos decentes, honestos, trabalhadores, pais de família, patriotas, cristãos e ateus, que não querem ver Portugal transformado numa Venezuela ainda mais pobre." Isto é ipsis verbis a narrativa dos apoiantes de Bolsonaro, quando na verdade por baixo desse belo véu está o racismo, a homofobia, o ódio de classe, o fanatismo evangélico e as saudades da ditadura militar. O que terá a dita senhora a dizer sobre os inúmeros militantes do Chega oriundos do PNR? E dos saudosistas do Salazarismo? Enfim, percebe-se que o combate cultural inventado por esta nova-velha-direita, reciclada dos anos de 1920 e 1930, espalhou-se pelo Ocidente. Por fim e já agora, quanto à castração química não há provas inquestionáveis de que seja uma solução segura, já que o estímulo sexual pedófilo é de natureza cerebral e pode ser satisfeito com objetos. 

10
Jul20

Interações [1]

Concordo com este post e acrescento uma preocupação: na aplicação dos fundos europeus, fazendo face tanto à necessidade de reformas de fundo (chamadas de estruturais) quanto aos efeitos económicos decorrentes da pandemia, é absolutamente vital um escrutínio à gestão, aplicação e distribuição das verbas, para que não se repita o regabofe da era Cavaco Silva, quando os fundos europeus serviram para os amigos e terceiros modernizarem a frota automóvel, construírem piscinas, e tudo o mais menos uma verdadeira aposta na capacitação empresarial. 

05
Nov19

A nova homepage dos Blogs do Sapo

A proliferação de redes sociais e o modelo imediatista de publicação, com a ascensão da escrita reduzida, por via do Twitter e, agora, das frases curtas para o Instagram, pareciam anunciar a morte dos blogs. A potenciar o facto estaria a circunstância de isolamento característico do modelo de hospedagem de blogs. A equipa dos Blogs do Sapo cedo percebeu que a sobrevivência e expansão da plataforma passava pela construção de um sentido de pertença digital a uma «comunidade imaginada», para usar os termos de Benedict Anderson. A nova homepage, que acaba de inaugurar, é a consolidação desse sentido de vizinhança necessária contra a solidão digital. A forma como incorporam mais destaques e colocam excertos é revelador da competente análise da sua equipa, ao produzir uma resposta que garante a continuidade da plataforma numa era de declínio da reflexão e da escrita demorada. Well done, mates. 

10
Out19

Lendo Blogs [5]

25
Set19

Lendo Blogs [4]

Não sendo um leitor do dito, parabenizo* a sua autor por manter o blog Nada Acontece por Acaso ao longo de uma década. Bem sei o que é ter num blog uma parte arquivada das nossas vidas, sejam relatos mais íntimos sejam opiniões que vamos deixando ao sabor da maré dos dias. Num mundo volátil e das novas redes sociais, é maravilhoso que os bons velhos blogs - enquanto plataforma - permaneçam vivos. Venha mais uma década, que uma só não chega. 

* brasileirismo extremamente eficaz 

02
Mar16

Três Anos a Morar nos Dias

Faz três anos que me instalei nos blogs do Sapo e criei este A Morada dos Dias, entre outros projetos. Inaugurei o espaço com um postal sobre A Herdeira de Henry James, romance clássico da literatura norte-americana, seguindo-se um punhado de outros comentários sobre livros e uma nota sobre as confusões governativas a propósito do tribunal constitucional. Março celebra ainda, valendo o que vale, os meus 13 anos de blogatividade. A adolescência da escrita na rede. 

Para comemorar a data, inverto o processo corrente na plataforma e entrevisto o Pedro Neves, um dos mentores do Blogs.sapo, e quem me acolheu nos primeiros momentos na casa batráquia:

 

1. O que motiva a equipa dos Blogs do Sapo?
Uma equipa reúne diferentes pessoas, personalidades e talentos. Por isso, todos temos motivações diferentes e fizemos caminhos diferentes para aqui chegar. O "aqui" é uma plataforma que funciona, segura e, esperamos nós, confortável para quem quer partilhar com o mundo aquilo em que está pensar, sentir e ver.

2. Qual é o critério na escolha de um post para destacar?
O tema dos destaques é muito comentado pela comunidade. Isso é bom sinal, porque mostra que as pessoas valorizam essa visibilidade. Os destaques são isso mesmo, uma forma de dar pistas sobre o que está a acontecer no SAPO Blogs. Não é possível destacar todos, na medida em que não conseguimos ler tudo e todos, mas fazemos o nosso melhor. Explicamos mais em detalhe esse trabalho no nosso blog de equipa (http://blogs.blogs.sapo.pt/187339.html), onde também pedimos feedback e sugestões dos nossos visitantes.
 
3. A equipa de Blogs é também uma equipa de blogueiros?
Sim, mas nem todos e nem sempre :) Internamente, usamos a plataforma para planear o nosso trabalho e usamos vários blogs como ferramentas de gestão (os destaques, por exemplo, são feitos inteiramente com recurso a um blog).

 

4. no contexto do Facebook o blogue é uma ferramenta com futuro ou cada vez mais se escreve para o vazio?
O blog é um formato que revolucionou a forma de publicar conteúdos em linha e, à sua maneira, abriu a internet a muita gente. O facebook fez o mesmo, mas de uma forma diferente, que resolve necessidades diferentes, não tanto de publicação, mas de interação e sociabilidade virtual. É requente encontrar a analogia do Google como a auto-estrada da internet. O facebook podia ser as zonas de descanso dessa auto-estrada, onde as pessoas param para conversarem e comentarem sobre o que viram e encontraram. Ou seja, não é um destino final nem um substituto para tudo o resto na internet. É por isso que todos nós que trabalhamos no digital nos esforçamos para que os nossos conteúdos sejam facilmente partilháveis por lá. Nós queremos que os nossos conteúdos cheguem lá e a todas essas pessoas que o facebook soube reunir no mesmo lugar. Isso não substitui os blogs, mas também não resolve a questão, colocada na pergunta, de saber se todos os blogs encontram os seus leitores. Nesse sentido, os bloggers não são diferentes dos jornalistas, escritores, artistas, em suma, de qualquer produtor de conteúdos que se interroga sobre como pode fazer chegar o seu trabalho a mais pessoas. A resposta passa por muita dedicação, originalidade e, no mundo dos blogs, por uma plataforma que se esforça por dar visibilidade aos seus autores :)

17
Dez14

Queen Forever.

Captura de ecrã 2014-12-17, às 09.56.03.png.jpg

Apesar de estar mais a par das séries televisivas atuais do que dos últimos álbuns, foi com grande prazer que respondi ao apressado desafio da equipa de Blogs do Sapo e elegi o álbum "Queen Forever" como o melhor de 2014. As razões são simples: poucas bandas marcaram o panorama musical mundial de forma tão definitiva como os Queen, com os seus arranjos, com a sua inovação, com a incontornabilidade do irrepetível Freddy Mercury. Um álbum que recupera toda a genialidade da banda e com o dado extra de um dueto inédito com outro "monstro sagrado" da música, Michael Jackson, não pode deixar de ser aclamado.

 

Cólofon

Dias Assim é um blogue de João Ferreira Dias, escrito segundo o Acordo Ortográfico, de publicação avulsa e temática livre. Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.