Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dias Assim

11
Abr21

Micropost [76]

Suzana Garcia, na sua entrevista ao expresso, fala na distribuição indevida do RSI e na consequente necessidade de mecanismos de controlo. Não obstante a veracidade desse facto, o RSI tornou-se tema político porque as pessoas estão mais preocupadas com a distribuição das migalhas entre si, do que com as imoralidades com cobertura legal. Na Amadora, onde ela irá concorrer, Suzana Garcia sabe que o discurso Venturista do "eles" e "nós" apela a um eleitorado concreto e alargado, num município que é um laboratório de convivência e tensão étnica. Com uma estratégia próxima à do Chega, mas livre da conotação negativa daquele partido, Suzana Garcia tentará conquistar a Câmara ao PS, no que seria uma vitória de Rui Rio, mas uma derrota para a contenção do apelo populista.

06
Abr21

Micropost [75]

Aquilo que chamam Nova Direita caracteriza-se por ser ultranacionalista, securitária, populista (no sentido em que galvaniza um descontentamento das massas desprotegidas com um discurso conservador de costumes e de combate) e ultraliberal em matéria económica. Tirando este último elemento, em que difere da velha Direita que chegou ao poder há 100 anos?

31
Mar21

Lendo Blogs [9]

Não poderia estar mais de acordo com este post, de Ana Branco. O chão comum do Estado de Direito democrático vai sumindo debaixo dos nossos pés e a sociedade vai polarizando-se numa luta nova, entre uma esquerda que se radicalizou no elitismo-burguês, ao estilo de uma parte da esquerda brasileira, e uma direita cada vez mais trumpizada, arreigada à memória nacionalista herdada do Estado Novo. Nada de bom emerge quando os campos opostos deixam de ter um meio-termo que os equilibre. 

15
Mar21

Micropost [74]

Desde o Duque de Wellington que Portugal é um bom horizonte para os britânicos. Inversamente, Portugal acostumou-se a depender do auxílio financeiro britânico. E é assim, respeitando o costume internacional entre ambos que vamos ter novamente a ponte aérea entre terras anglo-saxónicas e as praias e adegas lusitanas. Assim, para salvar a economia nacional vamos abrir a porta ao cavalo de Tróia do vírus. Vamos lá ver qual vai ser a política em relação ao Brasil, onde cada dia traz uma nova variante do covid-19.

01
Mar21

Micropost [73]

Não gosto deste termo. Entendo que se refere a uma esquerda que hiperboliza aspetos ditos "identitários"*, muitas vezes "burgueses", secundarizando, para tal, outras lutas sociais, ou apresentando soluções utópicas para problemas complexos. Sucede, todavia, que o termo "woke" surge no contexto de um "acordar" de consciência política afrodescendente, quando os negros deixaram de aceitar como natural a condição de subalternidade, que esta seja uma determinação social apriorística, i.e., que o seu lugar na sociedade era definido pelo tom de pele, numa sociedade estadunidense altamente racializada.

19
Fev21

Micropost [72]

O negacionismo e o revisionismo históricos são amplos, tocando todos os quadrantes políticos. Vai da euforia com os Descobrimentos, sacralizando a epopeia marítima e as figuras do nacionalismo lusitano, até ao ataque de caráter aos mesmos, à luz dos padrões coevos, como se os valores humanistas que nos regem não fossem tanto uma construção social e intelectual, quanto um produto cultural etnocêntrico. Portanto, tanto demos "novos mundos ao mundo" (que é como quem diz abrimos rotas comerciais para proveito europeu), quanto pilhámos, destruímos, escravizámos, demonizámos e convertemos. Tudo com base nas crenças e valores da época. São duas mãos distintas de um mesmo corpo. O resto é combate ideológico.

02
Fev21

Micropost [71]

O uso indevido de vacinas é sintoma de que a corrupção não tem rosto, profissão, situação económica, condição racial ou outra. É uma componente humana ligada à oportunidade e à falência ética. Tanto é corrupto um político que abusa do seu poder, quanto um operário que declara falsamente ter estado com alguém infetado para beneficiar de descanso pago. É a natureza humana. É por isso que temos de ter cuidado com os discursos populistas do "cidadão do bem" contra a "elite corrupta". Lembremos que no Brasil o "cidadão do bem" é racista e se o filho for homossexual cura-o com porrada.

02
Fev21

Micropost [70]

Nada tenho contra quem é contra a eutanásia, o casamento e adoção homossexual, o aborto. Mas tenho tudo contra quererem limitar a liberdade alheia com base no seu quadro de valores. Os direitos acima não colidem com os seus direitos pessoais, porque são direitos, não regras coercivas. Ninguém foi obrigado a casar-se homossexualmente desde que a lei entrou em vigor, mas a liberdade e o direito de quem o queria fazer deixaram de estar violados. Curiosamente a palavra eutanásia começa por "eu".

28
Jan21

Micropost [69]

Culpar o governo pelos números atuais de infectados, condenando a flexibilização do Natal e Ano Novo, que de resto a maioria da população desejava, é ficar a um degrau apenas de defender que as pessoas só sabem viver em ditadura. A folga dada contava com o bom-senso das pessoas, de que estas não iriam realizar festins como se o vírus fizesse uma pausa. Tivesse havido confinamento compulsório arranjariam forma de o furar. 

18
Jan21

micropost [68] "não nos lixem"

Há quem diga que o Chega é um partido conservador, eurocético e nacionalista. Não, não é. É um partido autoritarista e racista. É um partido idealizado por Pacheco de Amorim, um ex-monárquico, convicto fascista e colonialista. Um partido conservador, eurocético e nacionalista é o CDS, que é pela democracia. O Chega não. O Chega quer usar a democracia para recuperar o regime do Estado Novo. Como o Vox, a Frente Nacional, e a Liga Norte de Salvini.

Cólofon

Dias Assim é um blogue de João Ferreira Dias, escrito segundo o Acordo Ortográfico, de publicação avulsa e temática livre. Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.